quinta-feira, 13 de novembro de 2014

O Desenvolvimento dos Chakras



O desenvolvimento das capacidades e dos conceitos relacionados com cada chakra ocorre progressivamente ao longo da vida. Embora cada chakra receba e organize informação continuamente, há estágios de desenvolvimento em que concentramos nossa atenção principalmente para aprender certas tarefas. Esses estágios não são exatos e irão sobrepor-se e variar de indivíduo para indivíduo. Entretanto, ao avaliar seus próprios chakras, é útil considerar como esses estágios foram conservados em sua vida, que dificuldades ou traumas possam ter ocorrido, e como podem ter afetado os chakras que estavam se desenvolvendo na época.

Chakra Um: Segundo trimestre a nove meses
O primeiro chakra se relaciona com o desenvolvimento pré-natal e com os primeiros meses de vida, quando a quase totalidade da consciência da criança se concentra na sobrevivência e no conforto físico. É nessa etapa da vida que o crescimento do corpo é mais rápido. O aspecto mais importante desse desenvolvimento é que a criança aprende a se sentir segura, a ter confiança no mundo e a ter suas necessidades de sobrevivência adequadamente satisfeitas.

Chakra Dois: Seis a vinte e quatro meses
O estágio seguinte começa no nascimento, mas tem seu ponto alto entre o primeiro e o segundo ano de vida. Este é o estágio de percepção do “outro”, da sensação e das emoções. E também o período em que a criança começa a se locomover e a explorar o mundo através dos sentidos. Além da sobrevivência, a criança precisa se sentir amada, sentir prazer em estar viva, e dispor de uma variedade agradável e estimulante de sensações para explorar, como cores e sons, texturas e sabores, e um toque não invasivo, e sim substancioso por parte dos pais e babás.

Chakra Três: Dezoito meses a três anos
O chakra três entra em ação com o período de busca da autonomia e do desenvolvimento da vontade. A criança é naturalmente egocêntrica, e quer firmar um sentido de pessoalidade, de poder e de capacidade de moldar a si mesma. As mães em geral chamam este período de “época terrível dos dois anos” ou o estágio do “não”. O ponto importante aqui é deixar que a criança sinta sua própria autonomia e experimente seu próprio poder, e também tenha um sentido saudável dos limites baseado no respeito e não na imposição por parte dos pais.

Chakra Quatro: Três a seis anos
O chakra quatro se desenvolve quando a criança começa a descobrir seu relacionamento na família e no mundo à sua volta. Ela começa a imitar, a responder à dinâmica da família e a desenvolver sua própria maneira de ser nas relações com as pessoas. As amizades e o jogo com as outras crianças assumem a maior importância e os colegas começam a exercer uma influência sutil na formação da personalidade.
Os pais precisam dar um apoio amoroso no seio familiar que possibilite à criança expandir gradualmente sua rede de relacionamentos para se sentir amada e conectada com um mundo mais amplo. Uma dinâmica familiar disfuncional exerce um impacto particularmente grande nessa idade. As crianças precisam ter modelos de papéis saudáveis para a expressão de afeto e de amor.
Chakra Cinco: Seis a dez anos
A identidade social que se desenvolve nos anos precedentes se desenvolve neste período por meio da expressão criativa. Por meio da comunicação, a criança começa a testar sua compreensão do mundo. É importante apoiar a criatividade sem julgamentos, ouvir com atenção e comunicar com honestidade.

Chakra Seis: Sete a doze anos
Aprendendo por meio da comunicação e da investigação, a criança começa a formar seu quadro interno do mundo e do seu lugar dentro dele. Ela entra em contato com o chakra seis, o reino da imaginação, e começa a reconhecer padrões, a desenvolver a sensibilidade psíquica e a perceber o que encontra com uma mente aberta. Nesse estágio, é importante que os pais forneçam informações e proporcionem experiências sem invalidar as percepções da criança. Jogos que requerem imaginação criativa (por exemplo, pedindo à criança que projete imagens em cenários diferentes através de perguntas como “E que tal se…?”) ajudam a desenvolver essa habilidade.

Chakra Sete: Doze anos em diante
No chakra sete nós nos envolvemos na busca do conhecimento — o aprendizado, o treinamento, o pensamento e a reunião de informação. Temos então um conjunto completo de ferramentas para processar toda a experiência passada e futura. Este pode ser também um período de busca espiritual, embora essa questão varie de pessoa para pessoa. O melhor suporte para este processo é um ambiente intelectual estimulante em casa, incentivo a questionar sistemas de crenças, ensinar a criança a pensar por si mesma, e condições de um bom ambiente educacional.
A lesão que ocorre durante qualquer um desses estágios cruciais pode afetar o chakra que está se desenvolvendo no momento. A medida que você examina os problemas e os desequilíbrios em seu próprio sistema de chakras, uma intuição a mais advirá da reflexão sobre suas experiências durante esses estágios de formação. Como pai ou mãe, é importante estar consciente de suas dificuldades com chakras específicos, para não passar seus próprios conflitos não-resolvidos aos filhos.